Translate this Page








Total de visitas: 8759

Ética na Instrumentação Cirúrgica

Ética na Instrumentação Cirúrgica

 

 

                                                  QUEM SOBREVIVE?
                                         (A ética ou a indiferença)
Muito tem se falado ultimamente em Ética e princípios éticos; mas para que serve essa ética? A ética é necessária para a disciplina do indivíduo tanto moral quanto social, e esses preceitos morais devem nortear a conduta do individuo no ofício ou na profissão que exerce. Inúmeros elementos de respeito, moralidade, responsabilidade e princípios éticos devem estar inseridos na conduta do ser humano, contribuindo assim para a formação de uma consciência de hábitos íntegros e conscientes, que são alguns requisitos para a formação ética de um cidadão perante a sociedade.
Cada vez mais comum tem sido motivo de preocupação situações e problemas como:
 Assédio moral ou sexual;

 Fofocas;

 Intrigas;

 Desrespeito ao colega de profissão;

 Pessoas que não aceitam opiniões dos demais e acham que sabem tudo;

 Falta de respeito pelas diferenças individuais;

 Outros.
O famoso “puxador de tapete”, que passa por cima de tudo, de todos para chegar onde deseja ou por simplesmente ter o prazer de “derrubar” o colega no qual vem se destacando devidos os seus méritos, esforços, sua ética, profissionalismo. Infelizmente a cada dia verifica-se que a Ética não está sendo respeitada e nem fazendo parte da postura profissional que deveríamos ter no ambiente de trabalho.
Muitos se perguntam: Mas o que é certo ou errado? Digamos que muito vai do bom senso de cada individuo, e ter como principio de conduta a honestidade, humildade, e respeito.
Existem muitos exemplos que demonstram a falta de ética; que são praticados cotidianamente nos mais diferentes ambientes, e por vezes as pessoas nem se dão conta; este é o cenário no qual verdadeiros dramas acontecem às vezes rindo, outras chorando; umas vezes sendo protagonista e outras espectador. Todos nós reconhecemos que há conflitos, pois desde antes já impera a falta de respeito, e essa lacuna pode custar caro em termos de tempo, valor (valor emocional, moral e ou financeiro), percebe-se que é apenas mais um indicativo de um processo de angustia.
Resta-nos lembrar a cada individuo que já está na hora de melhorar sua relação consigo e com os outros, ter a percepção de métodos que vão além de palavras, quais sejam:
1. Saber ouvir: todos têm algo para falar, e muitas das vezes de onde menos se espera pode surgir algo muito bom, uma ideia inovadora, uma solução para algo. Tenha paciência para escutar seus colegas, sua equipe, seus liderados e seus lideres. Saber ouvir é uma arte, escutando-as, você tirará melhores conclusões;
2. Saber trabalhar em equipe: O maior diferencial competitivo é o capital intelectual. Precisamos aprender a trabalhar em equipe, fazer desabrochar o potencial de todas as pessoas, aprender a viver com as diferenças e extrair o melhor da diversidade; é preciso entender que ao trabalhar em equipe temos mais chances de superar nossos limites. Não podemos esquecer que uma organização/empresa/equipe é formada por pessoas, que por sua vez traz os seus conhecimentos, talentos, habilidades. Essas qualidades somadas com as qualidades das demais pessoas geram resultados com excelência, não seja individualista;
3. Não fazer fofocas: falar dos outros pelas costas, não define quem é a pessoa no qual você está falando, mas mostra quem você é. Fofocas nunca trouxeram coisas boas, aonde quer que ela surja, sempre vem acompanhada por desentendimentos; então, fique longe dela, mesmo que você não a faça, mas só de estar perto de quem está fazendo já pode te prejudicar; saiba diferenciar um comentário construtivo de uma fofoca;
4. Humilhar as pessoas: pense muito bem antes de sair humilhando os outros, afinal, ninguém é melhor do que ninguém. Todos nós temos as nossas diferenças, limitações ou falta de conhecimento em determinados assuntos; e nem por isso devemos ser humilhados, ser chamado atenção na presença de outros; pois ser tiver algo a ser corrigido, chame a pessoa em local reservado.

5. Falar mal do trabalho do seu chefe: cuidado, não fique por ai falando mal do seu trabalho, chefe, equipe ou da organização. Se não está satisfeito, vá à busca de outro no qual venha te deixar feliz;
6. Pontualidade: evite chegar atrasado aos compromissos, principalmente os profissionais. Se você sempre se atrasar, poderá ser considerado indigno de confiança e pode perder boas oportunidades de carreira. Algumas empresas e chefes consideram muito a pontualidade, usando-a como forma de julgar o caráter, competência e comprometimento dos colaboradores. Lembre-se: Nós somos observados e avaliados o tempo todo;
7. Não abuse da confiança: nunca trate seus pares de mesma função de forma esnobe, procure manter sempre uma atitude de respeito e colaboração com todos, evite brincadeiras e interferir com opiniões e ou palpites em relação a sua chefia caso não seja solicitado a fazê-lo e principalmente só acesse os locais restritos a sua função caso seja convidado;
8. Postura e comportamento: Conviver harmonicamente com a equipe multiprofissional; pois a ética está presente em todas as ações. O processo relacional é dinâmico e constante em todos os momentos em que estamos frente a frente com o outro. "Diante do outro, ninguém pode ficar indiferente. Tem que tomar posição. Mesmo não tomando posição, silenciando e mostrando-se indiferente, isto já é uma posição".
9. Capacitação / atualização: Infelizmente percebemos que as pessoas estão se qualificando pouco, erroneamente pensam que só a formação técnica e estágio já as credenciam, e até por isso não fazem outros cursos de qualificação. A qualificação profissional nos dias atuais é um diferencial fundamental no momento de se buscar e se candidatar a uma oportunidade de trabalho. E quando falo em qualificação falo em conhecimento; ser aquele profissional que saberá atuar em qualquer equipe, o mercado busca e cobra mais raciocínio, busque novos conhecimentos, leia mais, ler é conhecer, é poder formar opinião e debater em momento oportuno, busque participar de seminários, congressos e feiras em sua área de atuação, enfim tenha conteúdo intelectual.
REFLITA:

“Há dois tipos de pessoa que vão te dizer que você não pode fazer a diferença neste mundo: as que têm medo de tentar e as que têm medo de que você se dê bem.” – Ray Goforth
“Se você não tiver seu próprio plano de vida, é provável que caia no plano de alguma outra pessoa. E adivinha o que eles planejaram para você? Não muito.” – Jim Rohn