Translate this Page








Total de visitas: 8761

Síndrome de Diógenes

Síndrome de Diógenes

 

 

 

Acumuladores – Síndrome de Diógenes

Por que Síndrome de Diógenes? Diógenes Sínope, filósofo grego que optou viver na miséria, habitando dentro de um barril e tendo como posse apenas uma lanterna para iluminar a noite. Para os padrões atuais Diógenes viveria como um mendigo, a síndrome recebeu o seu nome por fazer com quem a possua desenvolva um aspecto mendicante ainda que na maioria dos casos tais pessoas possuam uma casa e renda própria.

Conflitos emocionais e ou psicológicos gerado em suas vidas como ansiedade, o medo, o arrependimento, a frustação; podem funcionar como gatilho e ou catalizador da síndrome de Diógenes.  Qualquer pessoa, independente de cultura, condição social pode ser acometida da síndrome; tanto homens quanto mulheres. Pessoas cronicamente desorganizadas gostam de acumular grandes quantidades de objetos de diversos tipos, formas e tamanhos, sem que tenha necessidade aparente; e tem muita dificuldade em se desfazer das coisas, além de não conseguirem gerenciar seu tempo e suas tarefas a fazer; pois se distraem facilmente.  Essa doença psicológica afeta diretamente as relações com as pessoas a seu redor, e funciona como uma mórbida  auto compensação de algo que aflige o doente. Sabe-se que a acumulação piora com o tempo tornando-se cruel, pois afasta amigos, familiares; dificultando a interação social.

E apesar de a acumulação ser vista tradicionalmente como um sintoma de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), a atividade cerebral dos acumuladores também difere da atividade cerebral do TOC típico, pois muitas coisas são diferentes e únicas para os acumuladores, sendo uma síndrome especifica não estando entre as definições padrão de TOC, haja vista que o cérebro das pessoas com distúrbio de acumulação apresenta excessiva ativação no córtex cingulado anterior, região do cérebro envolvida na tomada de decisões, principalmente decisões que envolvam informações conflituosas e falta de certeza. Atualmente o Transtorno de Acumulação Compulsiva está classificado isoladamente no DSM-5 (Classificação Norte-americana de Psiquiatria), de acordo com a hipótese de tratar-se de um distúrbio distinto do TOC, diferentemente do que se pensava antes. Acumuladores têm grande dificuldade em tomar decisões, especialmente sobre o valor dos itens que possuem por isso as regiões do cérebro associadas com a monitoração de erros em condições duvidosas são ativadas quando acumuladores são perguntados sobre jogar fora seus objetos. A consequência é que essas pessoas sentem que seus pertences têm muito valor, e isso torna quase impossível decidir livrar-se deles; sentem que podem estar se desfazendo de algo que possam precisar no futuro, e não se sentem preocupados com a própria bagunça.

Não existe um diagnóstico formal ou plano de tratamento para a síndrome de Diógenes. Atualmente, não há medicações ou opções de terapia reconhecidas ou recomendadas especificamente para o manejo da síndrome de Diógenes, o tratamento é muitas vezes realizado por profissionais de saúde em domicílio ou agentes comunitário, porém questões éticas e legais podem complicar o tratamento, pois os pacientes podem persistir em recusar a intervenção médica; por isso os casos de SD devem ser tratados com extrema sensibilidade por todos os envolvidos. Mas nada disto é possível sem o apoio familiar, a ação positiva da família junto ao acumulador é a chave para estimulá-lo e encorajá-lo a mudar, e muitas vezes é uma ferramenta poderosa que eleva a autoestima do individuo acometido pela acumulação, levando a prosseguir na busca da cura de seu problema.